Listas de melhores filmes: entre paixões e controvérsias

100

Uma das mais respeitadas revistas sobre cinema, a Cahiers du Cinéma da França, publicou ontem uma lista dos 100 filmes que todos nós que apreciamos a sétima arte precisamos assistir para ter uma base sólida para sentir-se confortável para discutir cinema.

No topo está o clássico Cidadão Kane. Quem é do jornalismo, assiste Cidadão Kane e Muito além do Cidadão Kane e acho que a maioria concorda que realmente trata-se de uma obra-prima. Salva a exceções, a maioria dos filmes presentes nesta lista é da tal época de ouro do cinema e quem se interessar em assistir terá o trabalho de garimpar tais títulos que já não se encontram mais em qualquer blockbuster.

Abaixo, segue a lista:

  • Cidadão Kane (1941) – Orson Welles
  • O Mensageiro do Diabo (1955) – Charles Laughton
  • A Regra do Jogo (1939) – Jean Renoir
  • Aurora (1927) – Friedrich Wilhelm Murnau
  • O Atalante (1934) – Jean Vigo
  • M, o Vampiro de Dusseldorf (1931) – Fritz Lang
  • Cantando na Chuva (1952) – Stanley Donen & Gene Kelly
  • Um Corpo que Cai (1958) – Alfred Hitchcock
  • O Boulevard do Crime (1945) – Marcel Carné
  • Rastro de Ódio (1956) – John Ford
  • Ouro e Maldição (1924) – Erich von Stroheim
  • Rio Bravo – Onde Começa o Inferno (1959) – Howard Hawks
  • Ser ou Não Ser (1942) – Ernst Lubitsch
  • Era uma Vez em Tóquio (1953) – Yasujiro Ozu
  • O Desprezo (1963) – Jean-Luc Godard
  • Contos da Lua Vaga (1953) – Kenji Mizoguchi
  • Luzes da Cidade (1931) – Charlie Chaplin
  • A General (1927) – Buster Keaton
  • Nosferatu (1922) – Friedrich Wilhelm Murnau
  • A Sala de Música (1958) – Satyajit Ray
  • Monstros (1932) – Tod Browning
  • Johnny Guitar (1954) – Nicholas Ray
  • A Mãe e a Puta (1973) – Jean Eustache
  • O Grande Ditador (1940) – Charlie Chaplin
  • O Leopardo (1963) – Luchino Visconti
  • Hiroshima, Meu Amor (1959) – Alain Resnais
  • A Caixa de Pandora (1929) – Georg Wilhelm Pabst
  • Intriga Internacional (1959) – Alfred Hitchcock
  • O Batedor de Carteiras (1959) – Robert Bresson
  • Amores de Apache (1952) – Jacques Becker
  • A Condessa Descalça (1954) – Joseph Mankiewicz
  • O Tesouro do Barba Rubra (1955) – Fritz Lang
  • Desejos Proibidos (1953) – Max Ophüls
  • O Prazer (1952) – Max Ophüls
  • O Franco Atirador (1978) – Michael Cimino
  • A Aventura (1960) – Michelangelo Antonioni
  • O Encouraçado Potemkin (1925) – Sergei M. Eisenstein
  • Interlúdio (1946) – Alfred Hitchcock
  • Ivan, o Terrível (1944) – Sergei M. Eisenstein
  • O Poderoso Chefão (1972) – Francis Ford Coppola
  • A Marca da Maldade (1958) – Orson Welles
  • Vento e Areia (1928) – Victor Sjöström
  • 2001: Uma Odisséia no Espaço (1968) – Stanley Kubrick
  • Fanny e Alexander (1982) – Ingmar Bergman
  • A Turba (1928) – King Vidor
  • 8 1/2 (1963) – Federico Fellini
  • Sel Sol (1962) – Chris Marker
  • O Demônio das Onze Horas (1965) – Jean-Luc Godard
  • O Romance de um Trapaceiro (1936) – Sacha Guitry
  • Amarcord (1973) – Federico Fellini
  • A Bela e a Fera (1946) – Jean Cocteau
  • Quanto mais Quente Melhor (1959) – Billy Wilder
  • Deus Sabe quanto Amei (1958) – Vincente Minnelli
  • Gertrud (1964) – Carl Theodor Dreyer
  • King Kong (1933) – Ernst Shoedsack & Merian J. Cooper
  • Laura (1944) – Otto Preminger
  • Os Sete Samurais (1954) – Akira Kurosawa
  • Os Incompreendidos (1959) – François Truffaut
  • A Doce Vida (1960) – Federico Fellini
  • Os Vivos e os Mortos (1987) – John Huston
  • Ladrão de Alcova (1932) – Ernst Lubitsch
  • A Felicidade não se Compra (1946) – Frank Capra
  • Monsieur Verdoux (1947) – Charlie Chaplin
  • O Martírio de Joana d’Arc (1928) – Carl Theodor Dreyer
  • Acossado (1960) – Jean-Luc Godard
  • Apocalypse Now (1979) – Francis Ford Coppola
  • Barry Lyndon (1975) – Stanley Kubrick
  • A Grande Ilusão (1937) – Jean Renoir
  • Intolerância (1916) – David Wark Griffith
  • Partie de Campagne (1936) – Jean Renoir
  • Playtime (1967) – Jacques Tati
  • Roma, Cidade Aberta (1945) – Roberto Rossellini
  • Sedução da Carne (1954) – Luchino Visconti
  • Tempos Modernos (1936) – Charlie Chaplin
  • Van Gogh (1991) – Maurice Pialat
  • Tarde Demais para Esquecer (1957) – Leo McCarey
  • Andrei Rublev – O Artista Maldito (1969) – Andrei Tarkovsky
  • A Imperatriz Galante (1934) – Joseph von Sternberg
  • Intendente Sansho (1954) – Kenji Mizoguchi
  • Fale com Ela (2002) – Pedro Almodóvar
  • Um Convidado bem Trapalhão (1968) – Blake Edwards
  • Tabu (1930) – Friedrich Wilhelm Murnau
  • A Roda da Fortuna (1953) – Vincente Minnelli
  • Nasce uma Estrela (1954) – George Cukor
  • As Férias do Sr. Hulot (1953) – Jacques Tati
  • A Terra do Sonho Distante (1963) – Elia Kazan
  • O Alucinado (1953) – Luis Buñuel
  • A Morte num Beijo (1955) – Robert Aldrich
  • Era uma Vez na América (1984) – Sergio Leone
  • Trágico Amanhecer (1939) – Marcel Carné
  • Carta de uma Desconhecida (1948) – Max Ophüls
  • Lola, a Flor Proibida (1961) – Jacques Demy
  • Manhattan (1979) – Woody Allen
  • Cidade dos Sonhos (2001) – David Lynch
  • Minha Noite com Ela (1969) – Eric Rohmer
  • Noite e Neblina (1955) – Alain Resnais
  • Em Busca do Ouro (1925) – Charlie Chaplin
  • Scarface – A Vergonha de uma Nação (1932) – Howard Hawks
  • Ladrões de Bicicletas (1948) – Vittorio de Sica
  • Napoleão (1927) – Abel Gance

Embora seja difícil concordar ou discordar quando não se assistiu tudo, mas geralmente listas sempre há controvérsias. A Time, por exemplo, soltou a sua lista dos 10 melhores filmes de 2008 e entre choques e espasmos a blogolândia reagiu. Sasha Stone do Awards Daily alfinetou: “eu não sei aonde que eles estavam com a cabeça”. Veja a lista da Time:

1.Wall-E
2. Synecodoche
3. My Winnipeg
4. 4 Months, 3 Weeks & 2 Days
5. Milk
6. The Curious Case of Benjamin Button
7. Slumdog Millionaire
8. Iron Man
9. Speed Racer
10. Encounters at the End of the World

Peraí! Speed Racer entra e Revolutionary Road não? Iron Man sim e Batman –The Dark Knight não? Ah, esquece essa lista…

3 respostas para Listas de melhores filmes: entre paixões e controvérsias

  1. Bruno Chagas disse:

    Faltou Blindness nessa lista da Time. Mas tudo bem, pra eles cinema estrangeiro é sub-categoria mesmo… Aliás, meio estranho esse top 10.

  2. Lança disse:

    Da primeira lista eu assisti poucos, na segunda lista eu assisti quase todos mas só concordo com Wall-E que é genial😀

  3. cinebuteco disse:

    Eu também gostei bastante de Blindness, mas assim como o Bruno disse, o filme não teve a repercussão positiva entre os especialistas de cinema. Wall-E de certo é um dos melhores filmes de 2008, só uma coisa me pertuba: as referências subliminares da Apple na robô fêmea. Mais detalhes, aqui: http://www.brainstorm9.com.br/2008/06/30/as-referencias-a-apple-em-wall%E2%80%A2e/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: