Maysa…

imagem21

Os três pontos não foram por falta de um título melhor, mas por toda a complexidade que envolve a personalidade da cantora Maysa, que a Globo acaba de exibir uma minissérie contando sua conturbada biografia, com a ajuda especial de seu filho, o diretor Jayme Monjardim. 

O meu receio era de fazerem um esteriótipo mal feito de Maysa, ou mocinha ou vilã demais. Nada!  Conseguiram com tal maestria mostrar os lados gênio e louca da cantora. Larissa Maciel, atriz que interpretou Maysa foi divina. Esteve feliz em todas as cenas. 

De tudo, como é legal saber que tivemos artistas iluminados no passado que tanto fez sucesso pelo mundo afora. Não sei, mas consigo entender o jeito de Maysa agir e encarar o mundo. Muitos julgam como uma má mãe ou namoradeira demais, mas acima disso ela era intensa, apaixonada e autêntica, logo, teve que pagar o preço por tudo isso.

Acho que Maysa – Quando fala o coração é daquelas poucas produções nacionais que vale a pena comprar e assistir para degustar com os olhos. Agora no meio do ano tem minissérie de Fernando Meirelles! Já esperando…

3 respostas para Maysa…

  1. RENATA disse:

    Discordo plenamente e a atriz foi pessima em sua plenitude , e como jayme nao conheceu a mãe atuando , caberia aos pessimos colaboradores fazer uma Maysa louca mas consistente como era e sabendo que ela sofria de doença e não era louca nem porra louca , alias termo antigo que nao deveria nem ter sido usado, nas falas.Penso que a intonação dessa garota a começar pela voz era sim uma Bruna Lombardi aguada e com pontuações de falas erradas totalmente .Não posso dar de culpa ao Jayme . ele não escreveu e dirigiu dessa vez uma verdade que não poderia fazer com maestria porque ele viveu sem ver tudo .Quem estava de fora e conheceu Maysa sabe de sua depressão , hoje doença , antes xilique…e o tratamento que teria que fazer não conseguiu.Isso aconteceu com mais outras que não se precisa falar.O artista cantor que usa a alma , temos que ter um carinho especial porque ali ele se expoe e se coloca diante de uma terapia com jogos de luzes e aplausos.O cuidado com os aplausos tem que ser prestado porque o aplauso , é entendido como vazio , quando acaba um show.Viram Elis no que deu… e era simples …. não!Ela tb sabia demais sobre amar , e quem coloca isso na interpretaçao vira um mito mas , sucumbe em si.Voltando , o caso Maysa quase em dois capitulos foi repetitivo , não havia necessidade do Boscoli tanto tempo , e quem ou viu o timbre dessa garota que só ficou identica nas imagens , o que faz parte do figurino e maquiadores, não levou para a tela mais a consistente e sem ser melindrosa e dengosa.Maysa tinha um tom rouco e decidido e não foi essa menina mimada, e muito menos sorria para o mundo.Sofria de depressão de repetição e de fato so queria um filho um amor e um violão.Quem ajudou , quase derruba uma produção tão minuciosa e farta.E os parabéns vão para o Jayme que se viu sem se conhecer , foi corajoso , a familia soube dessa avó e que entendam que ela estava doente e que amava demais.E isso hoje em depressão vem da genetica.Jayme se despiu de si mesmo dirigiu o que lhe contaram assistiu e todos da familia se viram literalmente como em um filme.Mas muitas vezes eu queria ligar pro Maneco e dizer essa não era a maysa , essa imbecil que ficou parecedissima.Penso que os colaboradores colheram dados e teriam que ter ido no ceará onde ela era conhecida no seu lado lindo e no negro , e amada como era.Ir em Minas Gerais onde musicos ainda vivos acompanharam essa mulher , e sabiam das verdades e de sua fregilidade.Mas as pesquisas eu devo dar nota zero , porque o que ela tem guardado de escritos não é pesquisa , é real.O que não colocaram foi a alma triste e não de louca.Ai de quem disser que essa mulher foi louca!Alguém parou para ver o que ela cantava , enquanto aparecia a imbecil interpretando sem sal e nem pimenta.E muito menos amargo como féu?Ai de quem falar da falta de coragem de todos os participantes na vida inteira .Ai de quem disser que Maneco fez um puta trabalho.Coisa nenhuma e quase que ele errava e mandava a biografia e o Ibope para o saco, quando a insipida atriz disse: não vou te beijar porque eu posso …..ora essa mas o texto poderia ser aumentado , com a dor que ela estava sentindo por dentro caro Maneco.Mas a mania de ter dois ouvidos e não ouvir é de verdade globalizada e assim os escritores tb erram.Vou dar os parabém ao Jayme , tão corajoso quanto a mãe , que deu a cara pra bater , e que hoje todos se conhecem mais… ainda falta mas o Dede sabe masi sobre sua linda avó , e o povo do Brasil quase nao conhece a realidade… mas deu pra ver que ela era um genio de seu tempo e que terá que ficar na historia da cultura  Brasileira.E eu que sabia muito bem como ela era, dou os parabéns pra ela sempre.Essa mulher foi um acaso que hoje pode ser que seja até ultrapassado porque antes se tudo não era livre, hoje sabemos pelo menos que não há criterios.Penso que entenderam o que eu disse.VIVA MAYSA E JAYME E SUA FAMILIA INTEIRA

  2. netiteve disse:

    Larissa Maciel foi melhor do que a série em si. E a questão nem é se ele fez uma Maysa correta, real ou idêntica. Seria inclusive perda de tempo , porque a maioria das pessoas não teriam como comparar. A memória da cantora se perdeu nesses trinta anos de sua morte.

    O mérito da atriz foi criar uma Maysa plausível. Quem nunca ouviu falar da Maysa ou não sabia dos seus trejeitos, vendo a composição da Larissa, pôde crer que tal maluca existe. Maluca sim, porque aos olhos leigos ela não passa de uma doidivana. O que importam termos técnicos nessa hora? A série nem toca, em nenhum momento, que ele sofra de depressão. Até porque a personagem a cada dois minutos diz sofrer de amor e dá provas em seguida que não sabe amar ninguém.

    Essa repetição e outras são o ponto falho. Por exemplo, a figura do Andre Matarazzo o tempo todo ou do Boscoli também emdemasia. Sem falar em flashbacks desnecessários, que não acrescentavam nada na narrativa.

    Como personagem, Maysa era ótima quando pirava, virava a porra loca. Em cenas assim não havia como o expectador não se sentir incomodado.

    No geral, a minissérie foi arrastada e repetitiva. Ainda bem que desistiram da ideia de ter 16 episódios, seria pior .

    Maysa (a série) não foi ruim nem boa, foi mediana.

  3. cinebuteco disse:

    Achei que tanto Larissa Maciel, quanto a minissérie em todo seu conjunto são dignas de um post elogiado porque cumpriram o papel de trazer, ainda que parcial, a imagem de uma cantora de muito sucesso no passado e que poucos de nós tinham acesso a história dela.

    Renata, quando vc diz que a atriz foi mal, vou discordar porque pelos seus argumentos a crítica teria que ser muito mais de direção do que pela atuação.Achei além da semelhança física, ela (Larissa) conseguiu expor os diferentes estados de espírito que Maysa transitava.

    De qualquer forma, obrigado pelos comentários! Voltem sempre😉

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: