Invictus

É impressionante como trabalha o nosso vôzinho predileto do cinema. Prestes a comemorar 80 anos, Clint Eastwood presenteia seus fãs com Invictus, obra que conta uma etapa muito especial da vida de Nelson Mandela, logo após assumir a presidência da África do Sul.

Imagine um país repleto de problemas, do econômico ao social. Esta era a África do Sul de 1994, após o fim do Apartheid. Nelson Mandela se ergue como o presidente e líder na retomada da ressocialização dos negros. E é pelo esporte, mais precisamente no rugby, que Mandela vai reerguer o orgulho sul-africano.

O barato do filme é mostrar uma outra história de Nelson Mandela que muita gente desconhece. Símbolo da resistência contra um sistema burro de preconceito racial, Mandela encourajou os Springboks, nome dado ao time de rubgy sul-africano, a acreditar no próprio potencial da equipe. E olha que os Springboks não tinham a simpatia dos negros, pois para estes era o símbolo de diversão dos brancos daquele país. Mesmo assim, Mandela apostou alto. Trouxe a Copa do Mundo em 1995 para a África do Sul, mostrou personalidade ao apoiar o time e BINGO! Acertou em cheio ao acreditar que estava ali um meio interessante de integração e de resgate do orgulho de um país dividido.


Vale elogiar aqui as atuações regulares de Morgan Freeman, muito bem caracterizado como Nelson Mandela e Matt Demon no papel do capitão do time, François Piennar. Clint Eastwood, mestre em fazer emocionar, dispensa comentários, apenas um adendo: Invictus é um dos filmes mais bacanas de superação já visto.

Nota: 9,3/10.

7 respostas para Invictus

  1. Graziela disse:

    E esse já tá na minha lista. Certamente vale muito a pena.

    Abs.

  2. Luis Galvão disse:

    Tá, eu sei que muitos podem não concordar comigo (e sei – por dentro – que estou errado ao falar isso), mas Morgan tem a mesma cara sempre? Vi só o trailer e fiquei com a sensação. E juntar ele e Clint é repetir papéis? Nossa, estou com medo de me decepcionar, mas parece que estou errado – tomara. Espero sim um grande filme e uma grande obra para o currículo de um dos diretores mais tradicionais, Eastwood.

  3. Estou no aguardo, quero ver quase todos no cinema!

  4. Vinícius P. disse:

    Gostei bastante do filme, para mim foi o melhor do Eastwood desde “Menina de Ouro”. Acho que só pecou um pouco nas cenas finais, com aquelas sequências em câmera lenta, mas no geral conseguiu me emocionar.

  5. Outro filme pelo qual estou muito ansioso!

  6. Isso vai soar como uma blasfêmia, mas eu não curto nadinha, nadinha o tal Clint Eastwood.

  7. cinebuteco disse:

    Blasfêmia, herege!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: