Amor Sem Escalas

George Clooney está de volta às telas! Desta vez, ele intepreta Ryan Bingham, um homem de nosso tempo; este em que vivemos atualmente: o da crise, o do corte de gastos para evitar demissão, etc. Ele trabalha numa consultoria especializada em avaliar currículos de profissionais de empresas que vão mal das pernas para demitir aqueles que não são tão essenciais neste turbulento período de crise.

Turbulência é o que o personagem de George Clooney mais está acostumado a passar. Viajando de um lado ao outro do país de avião, ele tem o objetivo de poupar 10 milhões de milhas pela American AirLines e assim entrar no seleto clube da companhia composto apenas de sete membros que alcançaram tal posto.

Nessas idas e vindas de uma cidade a outra, demitindo pessoas e destruindo carreira de anos, o telespectador é convidado a conviver algumas horas com George Clooney e sua vida aparentemente solitária, mas seu bom-humor e o modo de encarar a vida faz dele um tipo simpático, daqueles que a gente gostaria de ser ou ter como amigo.

O filme discute os relacionamentos pessoais, o modo como encaramos a vida, a dificuldade de trabalharmos com a frustação. O momento para lidar com temas tão complicados não podia ser melhor. Se a crise por aqui não foi assim tão devastadora, lá nos EUA o negócio foi feio e não é à toa que foi tão elogiado e é um dos fortes candidatos a vencer o Oscar.

A direção de Jason Reitman está muito boa. Incrível como nesta temporada, os diretores acertaram a mão em seus trabalhos. Vera Farmiga então é a maior surpresa do filme. Não a conhecia e simplesmente achei seu trabalho em Amor Sem Escalas excelente, sem excessos, ideal. Ainda não pude conferir Crazy Heart e a elogiada intepretação de Jeff Bridges, mas George Clooney no papel do homem típico de negócios que a gente esbarra sem querer no aeroporto está perfeito para o Oscar.

Nota: 9,5/10.

9 respostas para Amor Sem Escalas

  1. Luis Galvão disse:

    Eu também gostei bastante do filme. O que é inesperado, porque o filme em si não tinha nada de muito extraordinário para se amar. A trama é simples e tudo mais. Só acho que este foi o grande trunfo de Reitman, ele soube trabalhar com as pessoas certas (trilha e edição) e ainda contou com a ajuda de um trio em perfeita sintonia que é Farmiga (a melhor), George e Kendrick.

  2. Olha… eu assisti e não consegui me impressionar nem com o roteiro nem com as atuações. Achei que é um bom filme, um passatempo legal mas nada além disso. O roteiro é até interessante no começo mas depois cai de forma impressionante de ritmo e não atinge as expectativas…

  3. Para mim é um filme excepcional. Justamente por se ater ao básico, mas come excelência.Amor sem escalas é um filme sobre o nosso tempo. Não é para todos os gostos mesmo e haverá quem não conseguirá enxergar além da superficie do filme. Uma pena. De qualquer maneira o elenco está soberano, assim como Reitman que ruma para ser um dos cineastas mais grandiloquentes da atualidade.Assim como vc ainda não vi Jeff Bridges, mas Clooney está um arrado.
    aBS

  4. Santiago. disse:

    Assino embaixo do seu post, e inclusive atribui a mesma pontuação que você. Sobre o Clooney e a Farmiga, concordo que estão muito bem, e ainda bem que você não deu muita importância à Anna Kendrick, que não achei nada de demais. Inclusive, nem como melhor atriz coadjuvante a indicaria se pudesse.

    Abraço!

  5. Vinícius P. disse:

    Para mim esse é um dos cinco melhores filmes da temporada e estou satisfeito com o reconhecimento que está recebendo. Farmiga é o melhor aspecto do filme na minha opinião, uma atuação que merecia alguns prêmios.

  6. Ambiscioso e atual, Reitman faz meio que um ataque sobre esse mais recente crise economica, na qual o pais está passando, além de um ótimo elenco e roteiro, destaque para a ótima e engraçada Kendrick!

    Abraço, Fernando!

  7. Tiago disse:

    George Clooney é Oscar!
    Anna Kendrick me fez rir com aquela cena no aeroporto quando começa a chorar, feio demais, depois q toma um pé no rabo.. shusashuauhusauhuas
    Farmiga eh uma puta safada!! (como disse minha namorada)
    hehehe..

  8. Humberto disse:

    Assisti ontem e sinceramente… vi muita gente saindo no meio do filme. Não achei essa coisa toda, não, Fernando. Faço minhas as palavras do Robson Saldanha.

    Abração!

  9. cinebuteco disse:

    Humberto,
    não sei por qual razão, mas gostei bastante do filme. Simples, do nosso tempo… com atuações muito boas de Vera Farmiga e George Clooney… Gostei bastante, mas o filme perdeu força na reta final… deve sair de mãos abanando da cerimônia.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: