Butecando o Oscar: Edição de Imagem

De volta a série “Butecando o Oscar”, hoje falaremos sobre edição de imagem. E você sabe o que se leva em consideração nesta categoria? Imagina depois de todo o material gravado, chega a hora de lapidar o diamante, isto é, buscar as melhores cenas, os melhores takes, enfim, um baita trabalhão, por isso, merecem ser valorizados numa categoria especial. E os indicados são:

Distrito 9. Metáfora sobre o apartheid na África do Sul, Distrito 9 foi editado por Julian Clarke num ritmo alucinante e o que é melhor: deixando o espectador com gostinho de quero mais. Tudo leva a crer que haverá a continuação da saga. A forma como a história é contada prende o telespectador do começo ao fim. As cenas rápidas é o ponto forte do filme.

Guerra Ao Terror. Quem trabalha com edição sabe que o olho é um negócio exigente. Não se adapta a imagens paradas por muito tempo. Bob Murawski e Chris Innis souberam dosar o período da cena com o aumento da tensão nela, produzindo um efeito de angustia muito grande. Bom porque a ideia foi justamente passar as aflições e medos que um soldado sofre com a guerra.

Bastardos Inglórios. Evoluções na linguagem cinematográfica que ficaram marcadas na edição Sally Menke. Ao propôr um pause no fio condutor do roteiro e expôr um pensamento de algum personagem ou ainda apontar uma seta num lugar da cena para o espectador é algo inovador que merece ser analisado. Pode soar meio amador para uns e evolução para outros. A discutir.

Preciosa. Talvez seja o mais fraco desta categoria. Pessoalmente, não gostei do final que Joe Klotz junto com Lee Daniels propôs ao filme, achei também que a evolução de Precious ocorreu rápido demais, a partir da mudança, a personagem não parou mais de melhorar, como se a vida fosse realmente assim. Antes fosse!

Avatar. Não se sabe ao certo o que é real e o que é digital em Avatar. Mérito total de Stephen Rivkin, John Refoua e, é claro, James Cameron. Os caras fizeram um trabalho memoral, embora tenha gente (eu!) que achou que poderiam ter dado uma encurtada na história.

Quem deve ganhar: Guerra Ao Terror | Torcida CineButeco: Bastardos Inglórios| Na briga: Distrito 9 e Avatar | Zebra: Bastardos Inglórios.

6 respostas para Butecando o Oscar: Edição de Imagem

  1. Gustavo H.R. disse:

    D9 é o melhor nesse campo, mas Menke ganhando não seria nada mau, penso.

  2. Luis Galvão disse:

    Eu adorei essa categoria, acho que todos estão aí merecidamente e qualquer um que ganhar vai ser ótimo. Minha torçida? Bastardos.

  3. Humberto disse:

    Cara, muito bons estes posts da série “Butecando o Oscar”. Dá outra visão da disputa. Muito bom!

    No mais, cá pra nós, editar filme deve ser o cão. Editar filminho de faculdade a gente já morria, imagina uma obra de duas, três horas?

    P.S.: Concordo totalmente que Avatar podia ser menor.

  4. Acho que tá entre Distrito 9 e Guerra ao terror. Se o mundo fosse justo, ganharia bastardos ou Distrito 9 que, de fato, é um ótimo trabalho de Julian Clarke.

    ABS

  5. Santiago. disse:

    Acho o trabalho realizado em Guerra ao Terror primoroso, sendo o clima de tensão mantido do início ao fim. Ao mesmo tempo, acredito que Bastardos Inglórios, no estilo próprio (de Tarantino e cia.) de divisão do longa em partes e com setas indicativas auxilia na compreesão do argumento. Mas como nesta categoria, eu sou leigo, fico mais na torcida pelas duas películas, e não arrisco vencedor.

    Abraço!

  6. Vinícius P. disse:

    “Guerra ao Terror” merece e deve levar esse prêmio.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: