Criação

Se um filme que se diz biográfico é produzido e lançado no ano em que se comemora 200 anos do nascimento de Charles Darwin e 150 anos de sua obra A Origem das Espécies subentende-se que este filme abordará fatos importantes da trajetória do cientista até chegar a sua brilhante teoria, certo?

Bem, pelo menos era isto que esperava do filme de Jon Amiel e, para minha frustração, não encontrei. Em Criação, Darwin já concluíra sua expedição à America do Sul, onde teria feito uma série de observações da natureza e retirado hipóteses que iriam mudar para sempre o entendimento da evolução da vida na Terra.

Criação não mostra a tal viagem que, na verdade, seria a parte mais interessante da história. No filme, Darwin já está de volta a Inglaterra, e em conflito entre criar a nova teoria que iria revolucionar o mundo e as pressões próprias e da esposa que é contrária as ideias aparentemente malucas do marido, além de bater de frente com os preceitos da ideologia cristã.

Mas o roteiro se perde. Colocam uma filha de Darwin que aparece como uma super companheira e admiradora incondicional do pai e infelizmente acaba morrendo.  Aí ele passa a ver e a escutar a filha morta, que o estimula a publicar A Origem das Espécies.

Não sei precisar se o Darwin verdadeiro também teve as tais visões de uma filha morta, o problema é que o filme acaba desvirtuando o rumo da história na relação filha-pai e o grande feito de Darwin que foi a descoberta da permanente evolução das espécies, ficou relegada a segundo plano.

Vale mencionar a boa atuação de Paul Bettany e da menina que faz a filha de Darwin, Martha West. Ambos mostram muito afinamento e se deram super bem em cena, mas a ideia que tinha do filme era outra. Queria mais sobre as conquistas de Darwin e menos de sua vida íntima.

Assista, caso você não tenha coisa melhor a fazer. Aviso: se você é um curioso das teorias de Darwin são grandes as chances de se decepcionar.

6 respostas para Criação

  1. E eu estava jurando que não iria me decepcionar com esse filme. Tio torrent, lá vou eu… melhor economizar os 22 do cinema.. rs

  2. Preciso ver, mas diante de tanta critica negativa do filme – falo dos críticos e blogueiros – eu me desanimei. abraço!

  3. Pois é Fernando, esse filme tem decepcionado. Mas acho que a idéia nunca foi fazer uma biografia de Darwin propriamente dita ou um filme sobre as circunstâncias da concepção de sua obra. Acho que é um recorte de um homem dividido entre sua fé e suas convicções. Entre a família e as ambições profissionais. Nesse escopo, o filme torna-se melhor. Não acha?

    Grande abraço!

  4. cinebuteco disse:

    Olhando nesta ótica, o filme melhora, mas ainda assim acredito que não seja o fio condutor esperado pelo telespectador comum, por isso que acho que o filme decepciona.

  5. Concordo com vc Fernando. Esse é o drama de humanizar figuras históricas.
    ABS

  6. Luis Galvão disse:

    Estou meio ansioso para vê esse filme, mas agora com um pouco de cautela.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: