Será desta vez Robert?

abril 30, 2010

Estreia hoje nos cinemas brasileiros, Homem de Ferro 2, que vem com pompa de ser ainda maior que o primeiro.  Graças em parte pelo bom elenco de apoio, composto por Gwyneth Paltrow, Scarlett Johansson, Sam Rockwell, Mickey Rourke, entre outros.

Mas é Robert Downey Jr. que leva os maiores holofotes, afinal ele é o personagem principal da trama que agradou milhares na primeira fita. Agora, o filme é em 3D e a ver pelo trailer parece trazer cenas eletrizantes, do jeito que o público adora.

O ator vem trabalhando bastante para ser reconhecido pela Academia. Ainda não conseguiu emplacar um bom drama que agradasse a crítica, lembram de O Solísta? bem mais ou menos… Porém, quando o gênero é ação aí só dá ele: vide os últimos trabalhos o próprio Homem de Ferro e Sherlock Holmes.

Este ano, ainda teremos outro filme com Downey Jr: a comédia Due Date, dirigida por Todd Philips (The Hangouver). Os próximos anos, mais do mesmo: teremos Homem de Ferro 3 e a sequência de Sherlock Holmes. Não sabemos se todas essas repetições farão bem a carreira do ator, mas com certeza fará um bem danado para sua conta bancária.


Um nome a se observar

abril 29, 2010

Com dois filmes em exibição no Festival de Cannes, a australiana Naomi Watts é um nome a prestar atenção na temporada 2010. A loira está no novo trabalho de Woody Allen, You Will Meet a Talk Dark Stranger e em Fair Game, do diretor Doug Liman. É neste último título que as atenções estão mais concentradas.

Ela revive o caso Valeria Plame de 2003, agente da CIA alvo de um vazamento de informações à imprensa que sacudiu as altas esferas do governo americano. Detalhe: foi o própria marido de Plame (Sean Penn) que entrega as informações sigilosas em primeira-mão para o New York Times dizendo que a administração Bush manipulou informações sobre armas de destruição em massa para justificar a invasão do Iraque.

O diretor do filme, revelou em entrevista ontem no site MovieLine em que afirma que Naomi teve uma performance extraordinária em Fair Game, a melhor de sua carreira. Vamos aguardar as primeiras críticas lá de Cannes para saber se ela terá chances de prosseguir na disputa por prêmios. Vale lembrar que a atriz já teve uma indicação ao Oscar, em 2004, por 21 gramas.


O novo de Allen para Cannes

abril 28, 2010

Depois de anunciar o elenco para seu novo trabalho “MidNight Paris”, Woody Allen agora começa a campanha para “You Will Meet a Talk Dark Stranger”, novo filme que abre o Festival de Cannes 2010.

O projeto é estrelado por Josh Brolin, Naomi Watts, Anthony Hopkins, Antonio Banderas, Freida Pinto, Lucy Punch e Anna Friel. Apesar de manter um certo segredo com relação a estória do filme, Naomi Watts revelou recentemente para uma revista americana que a trama se desenvolve a partir de uma crise conjugal entre a personagem dela e a de Brolin, que é um escritor.

Ela quer ter um bebê e ele acha que não é o momento. Ele precisa começar a escrever seu segundo livro, mas não encontra inspiração para tal. Acaba tendo um relação extraconjulgal. Ela decidi então que se não irá ter o bebê, o foco será a carreira.

As primeiras críticas dão conta que tratam de uma típica obra de Woody Allen. Isto quer dizer que teremos uma comédia romântica, com diálogos inteligentes e situações engraçadas. Curioso pra ver Anthony Hopkins em um roteiro de Allen. É esperar pra ver!

Já tem uma cena do filme rolando por aí. Para vê-la, clique aqui.


10 ensinamentos de Como Treinar Seu Dragão

abril 27, 2010

1 – Não relute contra sua natureza. Se você não é igual aos outros, então seja você.

2 – Entenda o que você realmente é e busque ser o melhor nisso.

3 – Estude, leia profundamente sobre os assuntos de seu interesse.

4 – Enfrente seus medos, muitos dos perigos só estão dentro da sua cabeça.

5 – Observe e procure entender o inimigo/adversário, ele não é tão diferente de você.

6 – Teste e treine até conseguir atingir a máxima eficiência.

7 – Enfrente com dignidade os preconceitos e a zombação pelo fato de ser diferente.

8 – Busque resolver os problemas, enfrentando os problemas.

9 – Demonstre confiança e seja corajoso.

10 – Amenize as diferenças, otimize a colaboração.

ÓTIMO FILME!


No toque de 5 segundos #2

abril 26, 2010

5. Seguindo a filmografia de Alfred Hitchcock, ontem vi Os Pássaros, mais uma obra genial do diretor que se desta vez não utilizou assassinatos e surpresas no final, por outro lado, trouxe uma rica metáfora, digna de leitura psicanálitica entre o ataque dos passáros e a superproteção de uma mãe para com o filho do sexo masculino. Fato é que ele conseguiu transmitir ao telespectador toda ojeriza a pássaros e numa alusão ao abominável estilo controlador de uma mãe sobre o filho. Vale a pena ver! O próximo de Hitchcock agora é Janela Indiscreta ;D Ahhh, no fim de semana também vi Making Love, uma ótima dica do Cristiano, do Apimentário.

4. Um dos meus diretores preferidos da atualidade, Spike Jomze dirigiu recentemente o mais novo clipe da banda LCD SoundSystem, a faixa Drunk Girls. No vídeo, nenhum ponto a exaltar, é até normalzinho demais para Jomze, ainda assim vale a pena assistir e o som é muito bom.

3. O IMDB dá mesmo como certa a escalação de Kirsten Dunst no papel principal de Melancholia, novo filme do diretor Lars von Trier, esperado para 2011. Depois de cogitar o nome de Penélope Cruz, que preferiu fazer Piratas do Caribe 4, Kirsten Dunst parece como o nome oficial. Para quem não se lembra ela participou da trilogia Homem-Aranha; Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças; Rebobine, Por Favor e Maria Antonieta. Vale lembrar que Charlotte Gainsburg que fez Anticristo, último trabalho do diretor, também está escalada para Melancholia.

2. Enfim, Alice no País das Maravilhas estreou no Brasil. Eu ainda não vi. Pelo que ouço por aí, as opiniões estão divididas. Para aqueles que esperavam com ansiedade, uma sensação de leve frustração. Para os mais ‘pé no chão’, o filme é muito bom, válido só pela ousadia de Tim Burton em inovar a história de Lewis Carrol, baseado na sua identidade visual.


1. Surpresa! Como Treinar Seu Dragão parece vir mesmo forte para as premiações na categoria Melhor Animação. O filme liderou de novo a bilheteria dos Estados Unidos no último fim de semana, fazendo US$ 15 milhões (US$ 178 milhões no total), seguido pela estreia de  The Black-up Plain com US$ 12 milhões,  Uma Noite Fora de Série com US$ 10,6 milhões (US$ 63,5 milhões no total), a estreia de The Losers com US$ 9,61 milhões e KickAss fechando os top-five com US$ 9,5 milhões (US$ 34,9 milhões).


Cinema em casa: Festim Diabólico

abril 24, 2010

Dando sequência a filmes de Hitchcock, hoje conferi Festim Diabólico, mais uma bela sacada do diretor que uniu assassinato e tensão num ótimo suspense.

O filme conta a história de Brandon e Philip, dois jovens amigos de escola que resolvem matar um terceiro colega, David Kentley, por se considerarem superiormente intelectuais a ele. Brandon e sua mente perversa resolve elaborar toda uma cena para valorizar ainda mais o assassinato. Tudo porque seu professor de colégio, Rupert Cadell, havia dito que terminar com uma vida é tão fabuloso como criar uma.

E assim, na mesma sala onde mataram David Kentley, Brandon e Philip resolvem esconder o corpo dentro de um baú. Só que detalhe: algumas horas depois haveria naquele mesmo ambiente uma festa para convidados excêntricos, entre eles, o pai e a namorada de David.

Para deixar a história ainda mais macabra, Brandon decidi transferir os pratos da festa da mesma de jantar para a tampa do baú. Philip fica atordoado e não consegue disfarçar o nervosismo. As pessoas chegam no apartamento (que tem uma janela com visual incrível), inclusive o tal professor comparece ao evento. Apenas um convidado não chega: David Kentley, quer dizer, ele já estava lá, só que morto e ninguém sabia.

As cenas que se seguem são de pura tensão, com vacilos dos asssassinos que deixam Rupert com a pulga atrás da orelha. Os diálogos vão esquentando a cada minuto que passa até o gran finale. Festim Diabólico é datado de 1948 e tem alguns pontos interessantes. O filme com duração de 81 minutos se passa inteiro dentro do apartamento, sendo todo ele na sala-de-estar. Hitchcock poderia ter feito um filme gay? Muita gente vê uma relação de homossexualidade entre Brandon e Philip, embora de forma muito sutil, afinal, lembrem-se: o filme é de 1948 e nesta época, temas como este não era abordados tão abertamente.

A questão da superioridade, inferioridade das pessoas também é um outro tema bastante interessante se contextualizado à época das filmagens, em que a Segunda Guerra tinha recentemente acabado e o nazismo tinha sido derrotado.

Um grande filme, com belíssimas atuações e eu um pouco mais fã de Hitchcock.


A Estrada

abril 23, 2010

Dentro da linha filmes pós-apocalípticos, A Estrada surge como uma sugestão interessante. O desconhecido diretor John Hillcoat tem o mérito de transformar tragédia em poesia. Ele consegue mostrar a Terra devastada e ainda sim bela.

A Estrada conta com a presença do ótimo ator Viggo Mortensen que leva o filme nas costas e garante ao telespectador certa qualidade ao filme. A história conta sobre um pai e um filho que percorre uma estrada em busca de melhores condições de vida, depois que o planeta parece ter sofrido seu principal viés e nada mais se planta e animais não mais existem. O ator que faz o filho, Kodi Smit-McPhee também vai bem nas cenas com Mortensen. Vale lembrar que este trabalho lhe rendeu a oportunidade de fazer o remake americano de Deixa Ela Entrar, que estreia ainda este ano.

Os poucos sobreviventes então percorrem campos com vegetação queimada e cidades destruídas, como andarilhos. Aí, seguindo a teoria de Tomas Hobbes em que o homem é o lobo do homem, começa a política do salve-se quem puder, onde o canibalismo é a única forma de sobrevivência.

Hillcoat assemelha sua obra a Eu Sou A Lenda e Cegueira ao reforçar o caráter humano quando posto em perigo, deixando a entender que civilização e cordialidade são acordos extremamente frágeis quando postos à prova.

Infelizmente, A Estrada termina muito mal. Os últimos cinco minutos sinceramente não condiz com o filme. Precisavam dar um final e na minha opinião escolheram a mais fraca. Ainda assim é um bom filme que vale a pena ser assistido.