Elevado 3.5

junho 8, 2010

Vencedor do Festival É Tudo Verdade de 2007, o documentário Elevado 3.5 volta às telonas num momento crucial do tema abordado: o Elevado Costa e Silva, mais conhecido entre os paulistanos como Minhocão. O projeto viário – de beleza duvidosa – voltou às manchetes de jornais porque o atual prefeito Gilberto Kassab pretende pôr no chão o elevado afim de valorizar a região central de São Paulo.

O documentário de João Sodré, Maíra Bühler e Paulo Pastorelo surge então como um registro interessante para sentirmos o que os moradores dos prédios entornos acham  daquele espaço peculiar da cidade. A sensação que dá é que a produção escolheu a dedo os depoentes do documentário. Só aparecem pessoas sui generis, dando a entender que morar próximo ao Minhocão dispiroca a cabeça de todo mundo: o idoso que já foi rico e hoje vive sozinho num cubículo de 6m2, a eterna moradora da Casa do Estudante da USP, a transexual que se sente em casa no centro de São Paulo, o taxista que coleciona flores e por aí vai.

Todos de maneira geral apreciam o local onde moram e não saberiam escolher um outro lugar para morar. Ouvir as histórias de vida de gente tão diferente é muito legal e aí o mérito de Elevado 3.5, mas o documentário peca porque alguns takes são longos e cansativos. Algumas pessoas aparecem, mas não falam; outras falam mas não aparecem. O cuidado com a produção também deixa a desejar: imagens um pouco estouradas e por ora aparecem microfones que não deveriam ser mostrados. Tudo isso acaba prejudicando um pouco o documentário.

Mas Elevado 3.5 é uma ótima oportunidade para conhecer um pouco mais do fabuloso centro de São Paulo e sua gente cheia de histórias interessantes para contar.

Anúncios

Rita Cadillac, a lady do povo

abril 5, 2010

No próximo dia 16 de abril, estreia nos cinemas brasileiros um documentário de Toni Venturi sobre a vedete Rita Cadillac, tão famosa na década de 1980 e que aos trancos e barrancos conseguiu se manter na mídia até os dias de hoje.

O vídeo foi construído através de depoimentos e imagens inéditas, resgatando um rico material de arquivo desde os anos de dançarina em “O Cassino do Chacrinha”, até os filmes pornográficos atuais.

Acho bem interessante este tipo de documentário porque resgata para gerações atuais, artistas que foram sucesso no passado e que hoje não desfrutam do mesmo prestígio. Foi assim como o ótimo documentário de Wilson Simonal, espero que assim também seja com Rita Cadillac. Amanhã tem pré-estreia com a presença da homenageada do filme. Depois de assistir, conto as minhas impressões 😉


Butecando o Oscar: Melhor Documentário

fevereiro 10, 2010

Documentário é sempre uma boa oportunidade para cineastas mais engajados de pôr a “boca no trombone”. Neste ano, temos bons títulos sobre diversos temas. Causa espanto a exclusão do sempre polêmico Michael Moore e seu Capitalism: A Love Story. Os indicados da Academia são:

Burma VJ. Vencedor da última edição do festival ‘É Tudo Verdade (SP), o documentário relata a resistência de monjes budistas contra o governo militar autoritário e ditador da Birmânia, também conhecida como Myammar. O legal é que os diretores Anders Østergaard and Lise Lense-Møller não foram lá cobrir a revolta dos budistas. Eles na verdade compilaram vídeos produzidos por um grupo de jovens jornalistas munidos de câmaras digital escondidas. Super na ordem do dia, principalmente depois das últimas eleições no Irã. O trailer aqui.

The Cove. Faz um relato cheio de ação de um grupo de defesa de golfinhos contra a matança indiscriminada destes animais na cidade de Taiji, no Japão. O interessante é a participação do homem que foi responsável por amestrar os golfinhos nesses Sea Worlds tão populares nos Estados Unidos e hoje vê-lo lamentar veementemente as atitudes do passado, haja vista o mercado negro que virou a compra de golfinhos. Ótimas cenas dos golfinhos em alto-mar e imagens pra lá de aterrorizadoras do mesmo mar em vermelho-sangue, devida a matança dos animais. O trailer aqui.

Food, Inc. Se você é daqueles que adora comer porcarias, é melhor assistir Food, Inc. O documentário denuncia a indústria alimentícia norte-americana, afirmando seus efeitos prejudiciais à saúde pública, ao meio ambiente e aos direitos dos trabalhadores e dos animais. Frangos com peitos maiores, artificialmente engordados são alguns dos alvos da crítica do documentário. Vale a pena assistir. O trailer aqui.

The Most Dangerous Man in America: Daniel Ellsberg and the Pentagon Papers. Se no Brasil a ditadura ainda é um assunto indigesto no cenário político, nos Estados Unidos, a Guerra do Vietnã ainda causa peso na consciência de muita gente. É nesta linha de pensamento que o documentário sobre Daniel Ellsber será focado. Ex-funcionário de alto cargo do Pentágono, ele desafiou a presidência do congresso a acabar com a Guerra do Vietnã, lá nos idos de 1971. Ellsberger apresentou um estudo secreto ao jornal The New York Times que escandalizou a América na época por apresentar mentiras  contadas à população sobre a Guerra. O trailer aqui.

Wich Way Home. Apesar de repetitiva, a história de imigração mexicana nos Estados Unidos continua a chamar a atenção. Neste documentário, exibido na HBO, o alvo são crianças e adolescentes desacompanhados de adultos que tentam a sorte no país vizinho por meio de camboios de mercadorias que eles chamam de “A Besta”. O trailer aqui.

Quem deve ganhar: The Cove | Torcida CineButeco: — | Na briga: Food, Inc. e The Most Dangerous Man In America: Daniel Ellsberg and the Pentagon Papers| Zebra: Burma VJ.


The Cove

fevereiro 5, 2010

Seguindo a linha “ordem do dia”, isto é, discussão sobre temas atuais, The Cove denuncia a matança predatória de golfinhos na cidade de Taiji, no Japão. Cenas fortes como a de um braço do mar num tom avermelhado sugere como é a crueldade praticada contra aqueles indefesos mamíferos.

O documentário dirigido por Louie Psihoyos mostra toda a truculência dos pescadores da região que censuram veementemente toda e qualquer filmagem ou fotografia do local. Além disso é muito eficiente ao mostrar como o mercado de compra e venda de golfinhos seja para amestrar seja para a comercialização de carne movimenta bilhões de dólares.

O documentário foi eleito o melhor pela audiência no Festival de Sundance 2009 e desde então vem arrebatando vários prêmios mundo afora. Indicado ao Oscar, é um dos favoritos.

Nota: 8,0/10.


Variety elogia o documentário The Sunshine Boy

setembro 18, 2009

O cérebro é um universo mágico ainda pouco desbravado pelo homem, aí talvez o mistério que envolve a paranormalidade e o autismo, por exemplo. A Variety começou o dia postando um texto sobre The Sunshine Boy, um documentário em exibição no Festival de Toronto, que fala sobre o delicado tema do autismo. Quem tem gente próxima na família com o problema sabe que falar abertamente sobre o assunto é delicado mesmo, ninguém quer assumir que o problema existe, pelo menos até quando der para esconder os indícios.

The Boy Shunshine relata a história de famílias com casos de autismo e o aparente muro impenetrável que separa os autistas do mundo. De acordo com o documentário, uma em cada 150 crianças que nascem sofrem com o problema. Muitos especialistas na área também são entrevistados durante o documentário, na tentativa de explicar o que acontece no cérebro dessas pessoas.

O mérito do documentário, de acordo com a versão online da revista, está na estética dos quadros ao revelar o autismo em suas diversas facetas, muitas vezes com cenas forte, mas sem deixar de lado a beleza do olhar. O vídeo ganha um carinho especial do diretor islandês Fridrik Thor Fridriksson porque o próprio filho que sofre um caso grave de autismo é usado nas filmagens.

The Boy Sunshine conta ainda com atrativos de peso que é a narração de Kate Winslet e a música de Björk and Sigur Ross.

Interessante a produção de documentários nesta temporada. Só para lembrar os outros dois já citados aqui: Videocracy e Capitalism – A Love Story.


Variety elogia Capitalism – A Love Story

setembro 7, 2009

capitalismalovestory_01

Michael Moore está de volta. O tema agora é o capitalismo. Crítico ferrenho da política imperialista de George W. Bush, Moore deve ter se baseado na crise que assolou o país no final do ano passado. A revista Variety classificou este documentário como um dos melhores do diretor. Fica o recado e a expectativa de estreia no Brasil. Será que a Mostra Internacional de SP vai trazer antes de entrar no circuitão? Vamos prospectar…