Um filme estranho

junho 17, 2010

O blog Playlist, especializado em cinema,  anunciou oficialmente o elenco de Girls, Guns & Gambling, do diretor e escritor indie Michael Winnick. O editor do Playlist considerou o elenco todo estranho, veja só: Christian Slater, Gary Oldman e Dane Cook.

Ok! Até aí não tinha achado assim tão estranho. Mas olha a enredo: o filme mescla imitadores de Elvis, índios, bêbado, cowboys modernos, um assassino, um garoto órfão, um xerife corrupto e uma prostituta em uma perseguição de um artefato inestimável produzido por indígenas americanos roubado durante um jogo de pôquer em um cassino indígena. Onde tudo isso vai acabar?

Slater será o bêbado que irá entrar num concurso, cujo o imitador de Elvis, interpretado por Oldman, será seu principal concorrente. Cock será o xerife e só a pergunta que se faz é como é que Oldman aceitou um projeto desses, embora será interessante vê-lo no papel de imitador de Elvis.

Anúncios

O Livro de Eli

março 22, 2010

Americanos gostam como ninguém de mostrar a Terra devastada: seja por um fenômeno da natureza ou então pelas mãos burras do homem. Assim como 2012, Eu Sou a Lenda, em o Livro de Eli vemos mais um filme apocalíptico, onde o planeta fora devastado por uma guerra, transformando cidades em verdadeiros entulhos a céu aberto.

E conforme o roteiro vai se desenvolvendo (todo trabalhado no clichê), fica impossível não ligar Eli a Moisés, aquele pré-destinado por Deus na libertação do povo Hebreu. Eli (Denzel Washington) acredita ser incumbido por Deus a  levar um livro, uma espécie de Bíblia, para o Oeste. Há trinta anos que a Terra está na situação de calamidade, com pequenos grupos de humanos, sobrevivendo como hienas, procurando desesperadamente formas de sobrevivência.

Esqueça civilidade ou então igualdade entre gêneros. Depois da catástrofe, as mulheres são subalternas aos homens assim como era antes da idade Cristo (como eu disse, tem como ser mais clichê?). Carnegie (Gary Oldman) exerce uma certa dominação de um grupo e sabe da importância do livro que Eli carrega. Ele então não mede esforços para conseguir a posse do tal livro poderoso.

Mais determinado impossível, Eli não se acanha e continua seu percurso. Até o seu destino final. Lá, no Oeste, este livro poderá livrar a Terra do mal que impera e assim começar a reconstrução de uma vida melhor.

Acredito que o ponto fraco do filme seja mesmo o roteiro de Gary Whitta e a direção de Albert Hughes. Denzel Washigton e Gary Oldman até dão conta de uma boa interpretação e o cenário empoeirado de um planeta arrasado é bem realístico. O Livro de Eli é um programa que pode ser adiado para a locadora, sem maiores problemas de alguém dizer que você está perdendo um filmão.

Recomendo esperar chegar às locadoras.


SAG: todo mundo feliz

janeiro 26, 2009

Ontem, na cerimônia de entrega dos prêmios do SAGScreen Actors Guild (Sindicato dos Atores dos Estados Unidos), todo mundo saiu feliz. Veja só por quê:

Slumdog Millionaire levou como melhor elenco. Ótimo! Sem nenhum astro holywoodiano no cast, o filme com maior chances de sair como  o grande vencedor do Oscar precisava ser lembrado de alguma forma. Melhor elenco!

Sean Penn venceu como ator principal e re-equilibra as opiniões na categoria. Mickey Rourcke que venceu o Globo de Ouro continua sendo o outro nome para levar o Oscar. A disputa está boa!

No discurso mais legal da noite, Meryl Streep conquistou o título de melhor atriz e também o público pelo seu jeito cativante. Ela merecia ser lembrada mesmo com algum prêmio por sua bela atuação em A dúvida e também por levar milhares ao cinema para assistir o pipocão Mamma Mia! O Oscar fica difícil para ela. Há quem ainda acredite, mas para mim, ninguém tira de Kate Winslet.

Heath Ledger levou como ator coadjuvante e dessa vez quem foi buscar o prêmio foi o emocionado ator Gary Oldman que interpretou James Gordon em Batman – O cavaleiro das trevas. Uma dúvida: com tantas vitórias de Heath Ledger, haveremos de se emocionar no grande momento, que é o Oscar?

Kate Winslet provou que está com tudo e desbancou Penélope Cruz, Viola Davis e todo o resto por O Leitor, na categoria atriz coadjuvante. Bela, como nunca, Winslet mais uma vez se emocionou ao buscar o prêmio e agradeceu Deus e todo mundo.

Achei o SAG uma cerimônia chata, sonolenta e sem muitas supresas. Próximo grande prêmio? BAFTA, dia 08 de fevereiro.