No toque de 5 segundos #9

junho 14, 2010


5. Maravilhosa! Angelina Jolie está fantástica nesta primeira imagem divulgada de The Tourist. Para completar o visual, tem também Jhonny Depp… O que será que podemos esperar desta dupla em ação, hein? Aguardemos.

4. Um foi pouco. Dois foi bom… agora três é definitivamente demais. Confirmado a sequência de Fúrias de Titãs desta nova versão. Dois roteiristas terão o desafio de produzir a continuação da saga de Perseu: Dan Mazeau (Jhonny Quest) e  David Leslie Johnson (Orfã). Receio que vem bomba!

3. Depois do sucesso de crítica, Katryn Bigelow, vencedora na categoria Melhor Direção e Melhor Filme com Guerra ao Terror, dirigirá o episódio piloto de Miraculous Year (Ano Milagroso), série que será exibida pela HBO, onde ela também será a produtora-executiva. O programa vai retratar os batidores das cenas de Broadway. O elenco parece grandioso com a presença de Frank Langella, Nobert Leo Butz, Hope Davis, que venceu o Tony Awards ontem(o Oscar do teatro americano) e PattiLu Pone.

2. Alguém aí se anima com Popeye? Tá aí um desenho que eu nunca gostei. O filme de 1980, dirigido por Robert Altman e interpretado por um jovem Robin Williams foi um fracasso tremendo, agora estão querendo fazer a versão 3D deste filme de 30 anos atrás, numa estranha mistura de animação e imagens reais. É a corrida desenfreada dos estúdios pela febre 3D. Questionável! (falando sobre o tema, tem um interessante post do Claquete Cultural discutindo os efeitos 3D no cinema)


1. Quem diria? O remake de Karate Kid liderou as bilheterias do fim de semana em sua estreia com $56M. Bom? Acredito que para este filme sim. Em segundo lugar também uma estreia: Esquadrão Classe A ficou bem abaixo, fazendo $26M. Terceira posição para Shrek Para Sempre que faturou $15,8M ($210M). Get Him to the Greek cai duas posições, ficando em quarto lugar: $10,1M ($36,5M) e na quinta colocação e encerrando os top-five, Killers $8,17M ($30,7M). No próximo fim de semana, prepare-se por bilheterias arrebatadoras, vem aí: Toy Story 3.

Anúncios

Novidades ‘fantásticas’ de Terry Gilliam

junho 2, 2010

Depois de dirigir o último filme do ator Heath Ledger no universo fantástico de O Imaginário do Dr. Parnassus, filme que teve ainda a presença de Jhonny Depp, Jude Law e Colin Farrell em substituição a Ledger, Terry Gilliam está de volta.

É bem verdade que seu último filme dividiu opiniões, variando em elogios não muito exaltados e críticas não muitas ferrenhas também. O filme deverá ficará marcado mesmo pela despedida do grande ator Heath Ledger que tinha cativado o público e a crítica em BrokeBack Mountaim e Batman – The Dark Knight.

Agora Terry Gilliam está com um novo projeto em pré-produção. Trata-se de O Homem que Matou Dom Quixote, previsto para estrear em 2011. O filme conta a história de um executivo de publicidade que volta ao tempo, mais precisamente no século 17, para conhecer Dom Quixote e termina vivendo as aventuras do personagem.

Curiosidade: O filme é um projeto antigo de Gilliam, o qual inclusive começou a ser rodado em 2000, mas uma tempestade acabou por destruir parte dos equipamentos da produção e teve que ser cancelado. Jhonny Depp estava no papel de Sancho Pança, mas depois nunca mais conseguiu acertar agenda para prosseguir no projeto.


As últimas notícias dão conta que este papel será assumido por Ewan McGregor nas novas filmagens e Robert Duvall viverá Dom Quixote. Os dois inspiram confiança e nós, cinéfilos, ficamos aguardando por mais novidades ‘fantásticas’ de Terry Gilliam.


No toque de 5 segundos #7

maio 31, 2010


5. BOMBA! Guilherme del Toro abandona a realização de The Hobbits. A produção, aguardadíssima pelos milhares de fãs da trilogia Senhor dos Anéis, está empacada. E esta foi justamente a alegação do diretor mexicano para abandonar o projeto. O filme seria originalmente lançado em junho de 2011, depois para novembro do mesmo ano e agora The Hobbit só deve ter estreia em 2012. Guilherme del Toro continua na co-autoria do roteiro junto com Peter Jackson na adaptação do romance de J.R.R. Tolkien. Aguardemos cenas do próximo capítulo.

4. Depois do sucesso em O Escritor Fantasma, Ewan McGregor é anunciado como o astro no novo filme de Terry Gillian (O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus), em substituição a Jhonny Depp que abandonou o projeto. Nas palavras de Gillian: “Ewan só melhora com o passar dos anos. Ele estava maravilhoso em O Escritor Fantasma (de Roman Polanski)”. E podem se preparar: vem mais aventuras recheada de fantasia neste novo filme de Gilliam. Em breve, mais informações.

3. O contestado Alice no País das Maravilhas alcançou a marca de US$ 1 bilhão. É também a maior estreia de todos os tempos para o mês de março e a maior estreia em 3D. Outras curiosidades: é o sexto filme a entrar na casa dos bilhões, sendo que é o segundo de Jhonny Depp. É ou não é O cara?

2. No sábado, vi Filhos da Guerra, filme de 1990 sobre um jovem que sobrevive ao Holocausto, escondendo sua identidade judaica, tendo que aliar ao exército hitlerista para conseguir sobreviver. Interessante a análise do filme porque aborda a visão dos nazistas em relação a Guerra e mostra que nem tudo era alienação, mas o filme não é lá aquelas coisas não.


1. Prova de Sex and The City 2 realmente decepcionou é que em sua semana de estreia não conseguiu ficar na liderança da bilheteria. O filme fez $32.1M no fim de semana e $46,3M se contarmos a pré-estreia. O lider da semana foi Shrek Para Sempre que marcou $43,3M ($133M). A terceira posição ficou para os estúdios Disney com Príncipe da Pérsia – As Areias do Tempo que em sua estreia marcou apenas $30,2M. Homem de Ferro 2 ainda figura entre os 5 mais ao fazer $16M ($275M) e na quinta colocação, Robin Hood, $10,3M ($83M).


O que há de errado com Alice de Tim Burton?

maio 11, 2010

Neste fim de semana, o amigo Flávio, doutorando em cinema pela USP, fez uma análise muito lúcida do filme de Tim Burton, publicada aqui. O texto também foi repassado para amigos via e-mail que repercutiram o assunto, demonstrando apoio a opinião expressa no texto.

No post que fiz sobre o filme em 02/05, houve oito comentários. Todos eles demonstram frustração por ver menos do que esperavam de Tim Burton e sua Alice, mas afinal o que há de errado com o filme?

Para ser sincero, eu gostei desta nova versão cinematográfica da obra de Lewis Carroll, mas achei que a capacidade criativa do diretor foi podada pela Disney. A ousadia em fazer uma re-leitura de um clássico é um desafio enorme e Tim Burton já devia prever que dividiria opiniões.

Muita gente criticou a novata Mia Wasikowska, argumentando que lhe faltou mais firmeza na interpretação. Até o “intocável” Jhonny Depp foi criticado por estar caricato demais.

Tim Burton por mais autoral que seja, está inserido dentro de uma indústria que está dentro de uma lógica mercadológica, etc e tal. Os estúdios Disney por mais legais que parecem ser, pensou nas milhares cifras que o tema Alice poderia render e como estava bancando a produção é evidente que foi a última a bater o martelo no rumo da história. Infelizmente!

Mas se foi assim, Tim Burton ainda foi original ao re-elaborar toda a história com uma Alice mais velha, precisando resolver suas pendências no mundo ilusório da imaginação e do subconsciente.

Confesso que não achei Mia tão ruim assim. Ela assumiu uma postura insegura diante de um mundo estranho a racionalidades do mundo real, mas ao mesmo tempo, exibiu firmeza na hora de enfrentar seus medos e tomar decisões.

Se não há juízos de valores na obra de Carroll, em Tim Burton, os personagens assumem alguns papéis manequeístas e aí acho que tem muito da Disney. Basta lembrar as muitas animações baseadas em bruxas e cinderelas, bandidos e mocinhos, monstros e príncipes. O Chapeleiro Maluco apesar de louco, é inteiramente do bem, a Rainha de Copas e a Rainha Branca são antagônicas, enfim, ponto fraco do filme.

O final também me desagradou. A Alice empreendedora enfrentando o mar rumo à China não foi legal. Forçou a barra! A dancinha, assim como para vocês, me deu vergonha alheia. O “monstro” não dava medo nem no ratinho. Mas por outro lado, os efeitos especiais em 3D, o uso de cores vibrantes e a inspiração na obra original fez sim Alice de Tim Burton um novo modo de interpretar as fantasias de Lewis Carroll.

Em suma: gostei do filme, fui ao cinema despreendido das expectativas e me levantei das poltronas satisfeito com que vi. É evidente que também queria mais, mas aí como a Disney iria fazer para levar as crianças (e consequentemente seus pais) para o cinema se o filme dificultasse a história? Se não ficamos inteiramente felizes, pode apostar: Tim Burton também não deve ter ficado.


Novas imagens de ‘Alice no País das Maravilhas’

julho 21, 2009

alice

A Disney acabou de divulgar a sinopse e novas fotos de Alice no País das Maravilhas. A australiana Mia Wasikowska de 19 anos será Alice e contracenará com Jhonny Depp (Chapeleiro Maluco), Helena Bonham Carter (Rainha Vermelha) e Anne Hathaway (Rainha Branca), entre outros atores.

A expectativa em torno do filme é enorme, ainda mais depois da divulgação das fotos. O trailer já tem dia e hora para estreiar. Será no próxima dia 24, às 16h, horário oficial dos Estados Unidos. Para assistir, você terá que ser “fã” no Facebook de algum dos personagens mencionados no parágrafo anterior. O endereço deles é:

The Loyal Subjects of the Red Queen: facebook.com/RedQueenSubjects

The Loyal Subjects of the White Queen: facebook.com/WhiteQueenSubjects

The Disloyal Subjects of the Mad Hatter: facebook.com/MadHatterSubjects

E dá-lhe buzz on-line!


Primeiro poster de Alice in Wonderland

junho 30, 2009

alice_in_wonderland

E aí, gostou? Só pra não dizer que eu ando puxando sardinha pro lado de Jhonny Depp (post de baixo). O cara tá em todas! É ele quem estampa o primeiro poster de Alice no País das Maravilhas no papel do Chapeleiro Maluco.


Expectativas para Inimigos Públicos

junho 29, 2009

Estreia na próxima sexta-feira, dia 03, digo, dia 24, o filme mais aguardado da temporada até agora: Public Enemies com direção de Michael Mann [O Informante] e participação de astros de pesos como Johnny Depp, Christian Bale e Marion Cotillard. A crítica, que assiste os filmes alguns dias antes, elogiaram a parceria Mann-Depp, principalmente porque o filme apesar da estética manjada de gangsteres, consegue ultrapassar aquela ideia do simples matar para roubar ou vice-versa e junta-se a isso um certo estilo, bem incorporado por Jhonny no papel do criminoso John Dillinger.

Public Enemies se passa durante a grande depressão quando o governo americano pretende combater a alta criminalidade, transformando o FBI na primeira agência de polícia do país.

Se confirmada a boa atuação, Jhonny Depp entra de vez na lista dos queridinhos ao oscar, já que seus últimos trabalhos vêm sendo bem elogiados pela crítica. Desta forma, torna- se um nome forte a levar uma estatueta.